segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Ninguém sonha duas vezes o mesmo sonho

Ninguém sonha duas vezes o mesmo sonho
Ninguém se banha duas vezes no mesmo rio
Nem ama duas vezes a mesma mulher.
Deus de onde tudo deriva
E a circulação e o movimento infinito.
Ainda não estamos habituados com o mundo
Nascer é muito comprido.

Sobre o autor:
Murilo Mendes (1901-1975) foi um poeta expoente do Surrealismo brasileiro. Iniciou-se na literatura escrevendo em revistas modernistas Os livros Poemas (1930), História do Brasil (1932) e Bumba-Meu-Poeta, escrito em 1930 são claramente modernistas, revelando uma visão humorística da realidade brasileira.

8 comentários:

  1. "Nascer é muito comprido", adorei, Um bj.

    ResponderExcluir
  2. Belíssimo poema, filosófico e retrato da vida de cada dia!
    Muito bom post!
    Beijos da Álly.

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Muito belo seu post Rodrigo!
    Adorei o espaço...
    Bjs
    Mila

    ResponderExcluir
  4. ... principalmente quando o sonho é realidade! Não podemos vivê-lo duas vezes!
    Muito belo por aqui! Parabéns!...

    ResponderExcluir
  5. Gostei da proposta do blog ;)

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  6. adorei esse blog é meu estilo eu também tenho um blog diversificado visite o meu www.blogdoisraelbatista.blogspot.com abraços

    ResponderExcluir
  7. mtoooo bom.... porque uma realidade sonhada juntos é ao menos mais humana!!!

    ResponderExcluir